yourdomain.com Forum Index yourdomain.com
A _little_ text to describe your forum
 
 FAQFAQ   SearchSearch   MemberlistMemberlist   UsergroupsUsergroups   RegisterRegister 
 ProfileProfile   Log in to check your private messagesLog in to check your private messages   Log inLog in 

Radiações
Goto page 1, 2  Next
 
This forum is locked: you cannot post, reply to, or edit topics.   This topic is locked: you cannot edit posts or make replies.    yourdomain.com Forum Index -> Conversas Soltas
View previous topic :: View next topic  
Author Message
radiófilo



Joined: 06 Mar 2007
Posts: 99
Location: Campo de Ourique - Lisboa

PostPosted: Fri Oct 26, 2007 10:17 pm    Post subject: Radiações Reply with quote

Ontem na "Antena Aberta" da Antena 1 esteve em discussão o problema dos postes de muito alta tensão da REN e a polémica que a sua instalação tem provocado pela sua localização junto de povoações. A determinada altura, um ouvinte falou da antiga estação emissora de Glória do Ribatejo (da RARET) e dos supostos danos na saúde que as radiações da mesma terão causado nos habitantes da zona.

A propósito disto, lembrei-me de outra polémica, há uns 6/7 anos, sobre o complexo de emissores da Rádio Vaticano, localizado numa cidade nos arredores de Roma. Na altura creio que pretenderam mexer no dito comlexo com o fito de aumentarem a potência ou algo assim (já não me recordo bem). Por essa altura estava em Roma e recordo-me de ouvir comentários e protestos da população dessa localidade por causa das radiações e campo magnético provocado pelas antenas. Como resultado, penso que a rádio da Santa Sé não conseguiu os seus intentos.

Alguém me poderia dar umas dicas sobre este assunto (radiações, campo magnético provocado por tx`s)?

Aqui bem perto de minha casa tenho Monsanto com toda a sua amálgama de tx`s de rádio e tv. Ainda estou a alguma distância, moro em Campo de Ourique, mas tenho-os em linha de vista a partir de casa.

Lá bem perto existe a prisão de Monsanto, o tribunal, instalações militares (com habitações) e o bairro dos guardas prisionais da cadeia.

Aliás, uma coisa que me surpreendeu muito foi saber que os tx`s da RDP estão no interior das instalações militares (penso que foi aqui no forum que vi isso em tempos).
Back to top
View user's profile Send private message
somsonoro



Joined: 08 Jan 2007
Posts: 409

PostPosted: Sun Oct 28, 2007 3:57 am    Post subject: Reply with quote

Se falarmos em radiações basta dizer que certas marcas de telemóveis enviam radiação em demasia. Aliás há certas marcas que ocultam os valores pq sabem que excedem os limites.

Eu tenho o cuidado de pedir sempre o nível de SAR de cada telemóvel que compro. Nas 3 empresas nenhum dos empregados no balcão me informou. Tive de passar lá passado 1 semana para ter os dados que pretendi. Tanto na TMN como na Optimus. na Vodafone esperei 3 dias.

Mas há muitas mais radiações prejudiciais.

Os Pcs enviam radiações impressionantes. Até os ratos ópticos imitem radiações dignas de nota.
Back to top
View user's profile Send private message
Carlos Gonçalves



Joined: 04 Jan 2007
Posts: 705
Location: Lisboa

PostPosted: Fri Nov 02, 2007 10:27 pm    Post subject: Radiações não ionizantes. Reply with quote

"Radiófilo":

Antes de referir-me ao seus implícitos receios (espero não ser termo excessivo), uns pequenos pormenores sobre 2 torres de radiodifusoras no Monsanto: a própria RR está dentro das instalações da Estação Radionaval; da via, as ants. RT(D)P ficam à esqª e as da RR à dtª. É situação muito velha.
_________

Como sabe certamente, não está provado que as radiações não ionizantes causem perturbações - embora tb. seja verdade que a ciência tão-pouco consegue provar que elas não são prejudiciais: um dilema e fonte de receios, infundados ou não.

Quanto a mim, o Vaticano terá sido acusado injustamente por a sua rádio provocar alegadas percentagens anormais de problemas cerebrais sob a forma de cancro. Terei que ser imparcial ao dizer que a catadupa de receios por parte de cidadãos romanos vizinhos do território do Vaticano foi gerada por este manter, até à decisão judicial, alguns txs HF menores dentro das suas instalações, ao passo que o centro emissor de Stª Maria di Galeria permaneceu incólume, tal como o da RAI, em Prato Smeraldo.

Mas já viu que o ouvinte quer sempre mais, quer melhores sinais, quer receber a sua rádio favorita em condições ideais? É sempre o eterno querer, querer...

Já adivinhou o que vou dizer - em telemóveis, radiodifusão, TV... só se consegue c/ uma profusão de frequências de múltiplos txs de maior ou menor potência; enfim, tudo a radiar em torno de nós e perdendo-se no espaço, porque os sinais perdem-se no infinito.

Qual é a alternativa? Creio que conhecemos todos a (mesma) resposta.

Bom, e a rede da EDP? Esta irradiará, quanto muito, baixíssimas frequências decorrentes da corrente alternada. Há, contudo, "sinais EDP" detectáveis em freqs. muito mais altas, como, por ex., nos 15 MHz, mas decorrentes do sistema de comunicações que a EDP e congéneres utilizam socorrendo-se das linhas de MT e AT.

Trata-se de interferência prima da que é causada pelo sistema abandonado (felizmente!!!) pelas EDP/ONI p/ distribuir internet via rede eléctrica: verdadeiro cancro no espectro radioeléctrico.

Mas teremos que rendermos à evidência, caso, um dia, se venha a demonstrar, s/ sombra p/ dúvida, que há perigo nisso tudo. Que fazemos a seguir? Creio que nada.

73.
Carlos Gonçalves.
Back to top
View user's profile Send private message
radiófilo



Joined: 06 Mar 2007
Posts: 99
Location: Campo de Ourique - Lisboa

PostPosted: Fri Nov 02, 2007 11:14 pm    Post subject: Re: Radiações não ionizantes. Reply with quote

Caro Carlos!

Acredite que não são propriamente implícitos receios aquilo que me preocupa. Na verdade, como deve concordar, tudo isto é uma "pescadinha de rabo na boca"; as populações sabem queixar-se quando a cobertura de rádio, tv, telemóveis, electricidade é deficiente. Exigem tudo e mais alguma coisa! Mas, e como acontece com os postes da REN, desde que as infraestruturas passem longe das suas casas!

Quanto a Monsanto, a questão das radiações nunca me afectou particularmente. Já moro há 37 anos (desde que nasci) em Campo de Ourique, por isso, para bom entendedor...
E só a título de curiosidade, até hoje, só nesta zona tive dificuldades em accionar o comando á distância da minha viatura, tal é o campo magnético presente!
Back to top
View user's profile Send private message
Carlos Gonçalves



Joined: 04 Jan 2007
Posts: 705
Location: Lisboa

PostPosted: Thu Nov 08, 2007 10:50 pm    Post subject: Queixas, queixas... Reply with quote

"Radiófilo":

Tem toda a razão: um veradeiro ciclo vicioso.

É curioso o que relata sobre o comando do carro, e talvez seja pela campo radioeléctrico. Ainda não me dei ao trabalho de indagar em que freq. emitem essas gerinconças, mas, um dia destes, vou indagar numa que tenho que reparar periòdicamente... p/ evitar substituição (!) pura e simples do alarme. Contudo, é bem possível que nada se vislumbre na placa.
_______

Queixas. É como diz e as suas palavras recordaram-me o que talvez tenha visto há escassos dias num "Nós por Cá" da SIC; já nem me lembrando do local, trata-se de uma substação da REN objecto de ampliação que gera forte (?) ruído sonoro (nem falaram no ruído eléctrico) e angústia sobre os tais malefícios... que há gente que jura que passou a padecer de maleitas à conta das linhas!...

Desta vez, houve, porém, um pormenor que, vá lá, se lembraram de indicar: as estação é anterior às casas que começaram a pulular em seu torno.

Então a culpa é da REN? A câmara local autorizou (?) as construções, as pessoas precisam de corrente - queriam que a estação fosse posta num subterrâneo?

Bom, quem diz a REN e suas torres e afins diz a fábrica X que prejudica casas inexistentes quando ela foi (legalmente) implantada.

É lamentável assistir à lenha que as estações de tv lançam p/ a fogueira ao prestarem-se à divulgação de situações que deveriam ter sido acauteladas.

Abstraindo tudo o resto, parece nem tocar-se na questão absolutamente inestética que é construir habitações próximas de torres ou estações. Não, não me enganei na frase, não inverti a situação, apenas exponho o caso desta forma p/ sublinhar o que comentei atrás - não esquecendo, sem embargo, que deverá haver por aí casos em que os itens EDP/REN apareceram depois. Ambos os casos se deveriam evitar.

Ligado à questão da energia eléctrica, há ainda a faceta dos ambientalistas em cujas hostes se encontra forte contingente de utópicos. Refiro-me aos que criticam negativamente todas as formas de produção de algo de que não abdicam. As barragens alteram o meio, as centrais a queima poluem, as nucleares... nem é bom falar nisto..., as eólicas prejudicam a fauna... e até há quem se queixe do seu ruído. Não há mesmo pachorra p/ os aturar.

73.
Carlos Gonçalves.
Back to top
View user's profile Send private message
radiófilo



Joined: 06 Mar 2007
Posts: 99
Location: Campo de Ourique - Lisboa

PostPosted: Thu Nov 08, 2007 11:08 pm    Post subject: Reply with quote

Caro Carlos!

Concordo plenamente com aquilo que disse!

O caso referido pela reportagem da SIC, que também vi, é esclarecedor em relação àquilo que referi no meu post. Conheço perfeitamente o local em questão, próximo da Batalha, na estrada que sobe para Fátima, e recordo-me ainda de ver poucas casas por aquelas bandas. E a dita central já existia antes da maior parte das habitações terem sido construídas!

Quanto à questão do comando do carro, devo dizer, e sendo mais preciso, que me sucedeu o relatado junto de um conjunto de antenas, creio que da Marinha, situadas próximo da Cruz das Oliveiras, na estrada que liga aos Montes Claros e consequentemente ao Alto da Ajuda.
Back to top
View user's profile Send private message
admin
Site Admin


Joined: 01 Jan 1970
Posts: 1931
Location: Alentejo (Portugal)

PostPosted: Fri Nov 09, 2007 12:17 pm    Post subject: Reply with quote

Na minha opinião, o principal problema, no meio desta história das queixas de moradores e da instalação de postes da REN... continua a ser a tipicamente portuguesa (des)organização territorial! Infelizmente, cá em Portugal ainda há a estratégia de construir em tudo o que é terreno... Descurando por vezes pequenos grandes pormenores a nível urbanístico e ambiental, incluindo naturalmente as infra-estruturas eléctricas.

Depois de as casas estarem construídas e licenciadas é que construtores e proprietários das habitações se lembram dos problemas, quer da construção da casa, quer do local de construção... E aí por vezes vem o estratagema de colocar "remendos mal cosidos", isto é, obras de insonorização e isolamento acústico, térmico, etc. das casas, para mimimizar o desconforto e as a anomalias detectadas, que, verdade seja dita, não resolvem a 100% os problemas...

Há que ter em atenção que muitos dos problemas nos prédios/vivendas seriam facilmente evitáveis se as construções fossem autorizadas como "devia ser": isto é, estudando minuciosamente os impactos ambientais, estruturais, e as perturbações causadas aos moradores oriundas de fontes externas de ruído sonoro, eléctrico, etc...

Mas num país em que casas "convivem" com auto-estradas movimentadas, a escassos metros; em que postes da REN, torres de radiocomunicações e outros campos electromagnéticos são instalados por cima ou ao lado de urbanizações, etc. , é perfeitamente "normal" que surjam problemas e desconfortos na qualidade de vida e na saúde de algumas pessoas, que decerto seriam minimizáveis se houvesse uma estrutura coerente na organização do nosso território, construindo casas em locais adequados e mantendo as linhas de alta tensão, as infra-estruturas rodoviárias, as torres de telemóveis, emissores de radiodifusão, etc. em locais relativamente "desertos", onde o risco de afectarem populações seria diminuto, enquanto também evitavam eventuais problemas que a existência de habitações possam causar nas estruturas...


É certo que esta polémica é um "pau de dois bicos": por um lado as pessoas querem mais e melhor electricidade, melhor sinal de tv e rádio, melhores vias rodoviárias... desde que não passem por cima ou ao lado das suas casas!

Mas se a convivência entre estas estruturas e as habitações não é pacífica, a melhor solução será estudar a instalação de estruturas eléctricas e outras em locais relativamente afastados das casas... Mas que as câmaras municipais não autorizem depois a construção de novos edifícios ao lado dessas estruturas!

Infelizmente, nestas coisas o país ainda está muito "cru", havendo ainda muita aberração (para nem usar o termo "asneira"!) urbanística a ser fabricada onde tal não devia ser permitido! E muitas vezes não existe grande vontade política e social para alterar a situação...

E não querendo entrar por questões demagógicas, desde que os "lobbies" da construção civil e da classe política fiquem a ganhar, está, passe a expressão, "tudo numa boa"... Não acredito que alguma vez autorizem a instalação de postes de AT da REN por cima de um campo de golfe, em pleno Algarve, repleto de turistas nacionais e estrangeiros "ricaços"...
_________________
Bons 73s,
Luís Carvalho

Administrador do Mundodarádio - O universo da rádio na Internet
http://mundodaradio.lusopt.info
Back to top
View user's profile Send private message Send e-mail Visit poster's website Yahoo Messenger MSN Messenger
radiófilo



Joined: 06 Mar 2007
Posts: 99
Location: Campo de Ourique - Lisboa

PostPosted: Mon Nov 12, 2007 10:05 pm    Post subject: Reply with quote

Pois é, o que faz muita falta neste país é uma coisa chamada "ordenamento do território", mas feito não de uma forma demagógica, mas de maneira séria, não cedendo a lobbies!

Por outro lado, um dos sítios que tem estado na "berra" com a questão dos postes da REN, fica situado na linha de Sintra. E toda a gente sabe que esta zona da Grande Lisboa não é nem nunca foi um bom exemplo de ordenamento do território. Foi-se construindo muitas das vezes clandestinamente e depois praticou-se a política do "facto consumado"!
Back to top
View user's profile Send private message
Cylon



Joined: 23 Oct 2007
Posts: 501
Location: Alverca do Ribatejo/Lisboa

PostPosted: Thu Dec 13, 2007 11:30 pm    Post subject: Reply with quote

Aproveito para informar que, desde há dois anos para cá, o emissor da Rádio Asas da Beira foi deslocado do centro da vila de Tábua, bem no meio dos "recreios" das escolas dos 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico (!!!) para bem longe da vila, para sul do concelho, ao que ouvi dizer perto da Gândara de Espariz, ao lado da Estrada Nacional 17 (vulgo Estrada da Beira).
Para quem conhece a zona, julgo que é uma torre que se vê atrás de um restaurante no topo da colina, do lado da EN 17 oposto ao American Motel...

Muito provavelmente foi a questão das radiações que motivou a mudança de local do emissor, de onde estava desde, salvo erro, 1989, para esta nova localização.

Já agora, aqui na zona de Alverca do Ribatejo e à volta, nesta faixa junto ao Rio Tejo desde Sacavém até ao Carregado o que mais há é linhas de alta tensão sobre os telhados das casas... e contestação por aqui não se tem visto muita...

Emissores de rádiodifusão, radiotelevisão, militares, das forças de segurança, dos serviços secretos, dos serviços jurídicos, das empresas de telecomunicações, dos telemóveis, dos radioamadores (PMR e CB incluídos), já para nem falar no "banho" que vem dos satélites, ufff... a lista nunca mais acaba...

Tenho a impressão que, se as ondas de rádio se pudessem ver, a humanidade entrava em pânico!!!
_________________
PMR740
IM58LV
Back to top
View user's profile Send private message Visit poster's website
somsonoro



Joined: 08 Jan 2007
Posts: 409

PostPosted: Fri Dec 14, 2007 3:44 am    Post subject: Reply with quote

Eu sobre este assunto relato o caso de uma senhora funcionária administrativa de uma rádio local que trabalhava no último andar do prédio. No telhado estavam as antenas da rádio.

Os estúdios ficavam um andar abaixo do dessa senhora.

A senhora infelizmente teve cancro (leucemia) na coluna e morreu.


Eu desconfiei logo da antena. Até porque a senhora trabalhava mesmo por baixo da antena.
Back to top
View user's profile Send private message
admin
Site Admin


Joined: 01 Jan 1970
Posts: 1931
Location: Alentejo (Portugal)

PostPosted: Fri Dec 14, 2007 8:38 pm    Post subject: Reply with quote

somsonoro wrote:
Eu sobre este assunto relato o caso de uma senhora funcionária administrativa de uma rádio local que trabalhava no último andar do prédio. No telhado estavam as antenas da rádio.

Os estúdios ficavam um andar abaixo do dessa senhora.

A senhora infelizmente teve cancro (leucemia) na coluna e morreu.


Eu desconfiei logo da antena. Até porque a senhora trabalhava mesmo por baixo da antena.


"somsonoro":

... E relação causa-efeito? O seu argumento parece-me bastante falacioso!

Francamente, com todo o respeito pela memória da senhora, quem garante que terão sido as radiações o que despoletaram o cancro?

A menos que clinicamente seja comprovado que, efectivamente, foram as radiações a causa da doença, creio ser precipitado associar as radiações da antena à morte da pobre sra.

Se me permitem a comparação, infelizmente não há quem sofra ou tenha sofrido cancro do pulmão e nunca tenha fumado? Não há homens com cancro da mama?...

Conheço uma pessoa que tinha um familiar que tinha um extremo cuidado com a alimentação... e infelizmente faleceu vítima de um cancro no estômago!


Não podemos associar directamente doenças com causas, sem proceder a estudos científicos e análises clínicas aos pacientes, sob pena de estarmos a lançar alarmismos sem sentido.

É certo que são doenças trágicas e fatais, mas penso que associar determinadas doenças com as radiações ou com determinados alimentos, ou com determinados produtos, sem analisarmos cientificamente a situação é, no mínimo, especular...

Ou há base científica para a origem de uma doença, ou não tentemos arranjar associações entre causas ambientais e consequências resultantes no corpo humano!

Francamente, já vi muitos alarmismos sobre leucemias e cancros resultantes de radiações... mas, curiosamente, nenhum apresentou dados científicos credíveis que demonstrassem a veracidade das conclusões...


Evitemos alarmismos e não especulemos... no mínimo dos mínimos, por uma questão de respeito pelos doentes e pela Alma de quem já não está entre nós...

A Ciência, insisto, ainda não provou a existência de efeitos colaterais no corpo humano oriundos do contacto frequente com radiações electromagnéticas!


-----------------------------------------------------------------

E nem entrando nas chamadas radiações ionizantes que aí a coisa é muito mais séria...

"somsonoro":

Francamente, sugiro que se documente devidamente acerca dos actuais estudos científicos sobre radiações, que creio que lhe seria bastante útil para compreender devidamente a temática...


Creia, "somsonoro", que genericamente, há muitos tipos de radiação.
As ondas de rádio são apenas uma pequena fracção do espectro electromagnético...

Você ao ligar uma lâmpada ou passear na rua num dia de sol está a captar radiações... nada mais, nada menos que luz! A própria luz visível é uma radiação!

Os raios ultravioleta são radiações... Os infravermelhos, as microondas... até ondas ionizantes como os raios X ou a as radiações gama são radiações...



Espero não ferir susceptibilidades, mas tragédias históricas como em Hiroxima, Nagasáqui ou Chernobyl foram e são tremendamente muito mais perigosas que morar ao lado de um emissor de uma rádio local!!

Há que saber relativizar...
_________________
Bons 73s,
Luís Carvalho

Administrador do Mundodarádio - O universo da rádio na Internet
http://mundodaradio.lusopt.info
Back to top
View user's profile Send private message Send e-mail Visit poster's website Yahoo Messenger MSN Messenger
Cylon



Joined: 23 Oct 2007
Posts: 501
Location: Alverca do Ribatejo/Lisboa

PostPosted: Sat Dec 15, 2007 2:11 am    Post subject: Reply with quote

admin wrote:
Espero não ferir susceptibilidades, mas tragédias históricas como em Hiroxima, Nagasaki ou Chernobyl foram e são tremendamente muito mais perigosas que morar ao lado de um emissor de uma rádio local!!!

Há que saber relativizar...


Correcto, mas a meu ver, se as coisas puderem ser evitadas, tanto melhor...

Casos como o da Batalha descredibilizam todos os envolvidos: os municípios, os empreiteiros e os queixosos.

Os municípios porque sofrem do mesmo mal que atravessa diametralmente a sociedade portuguesa, desde os ministérios até ao cidadão comum: a falta de "verba"! Como combater este mal e arranjar fonte dessa mesma "verba"? Através de mais e mais licenciamentos para construção concedidos a empreiteiros. Os empreiteiros por também não pensarem nestas questões e construirem em todo o local onde, bem ou mal, o autorizem. E por fim os próprios proprietários queixosos.

Ninguém obrigou, decerto, ninguém a comprar aquelas habitações. E também ninguém faz uma aquisição destas (para fins de habitação), em princípio, sem ver a habitação em si, e a sua envolvência. Assim sendo, muitos problemas estes queixosos poderiam ter evitado se tivessem adiquirido a sua habitação noutro local...

Posto isto, claro que um empreiteiro que se preze, muito provavelmente, irá oferecer condições mais vantajosas para a aquisição de uma habitação naquele local, sendo aquelas reflectidas geralmente no preço a pagar por esta. Isto torna-se assim, nos tempos que correm, um "bom negócio" para ambas as partes... O proximo passo? Os agora proprietários, com vista a rentabilizarem esse "bom negócio", entregam-se a uma luta contra a já mais antiga central...

(Neste ponto, é meu dever informar que não conheço a situação da Batalha em si, quer pormenorizadamente, quer pessoalmente, pelo que estas minhas hipóteses são, somente, especulação de como as coisas se vão passando por esse país fora.)

Pese embora tudo isto, o facto é que, se eu for a circular numa auto-estrada e quiser (como toda a gente) chegar em segurança ao meu destino, prefiro ir a 100 Km/h do que a 200 Km/h; do mesmo modo, se eu quiser reduzir as possibilidades de vir a contrair uma doença grave, prefiro que ponham um emissor (seja lá do que fôr) mais longe do local onde eu moro/trabalho, etc..., do que mais perto deste, por maior falta de confirmação científica que exista...

É que "o boato está lançado"!!!

Mas não haja dúvida de que também não se pode ter tudo, ou seja, "sol na eira e chuva no nabal, e boa saúde e bom sinal" (inventei agora!!!), e que o planeamento e ordenamento territorial é uma anedota no nosso país... Realmente, esta conversa até me pôs a pensar: "Como é que uma pessoa há-de querer organização no espectro radioeléctrico, se nem em coisas ainda mais importantes ele parece existir na prática?"

Sem me querer desviar muito do tópico, dou como exemplo casos de que tenho ouvido falar em Tábua, e que devem suceder em outras zonas do país. Houve largas faixas do concelho que, por via dos Planos Directores Municipais, foram designadas ou como "zonas urbanas" ou como "zonas agrárias". Se nas zonas urbanas se pode construir, em princípio, o que bem se quiser, nas zonas agrárias já não é assim... Nestas, se alguém fôr proprietário de terrenos (que assim sofrem a inevitável desvalorização) sem qualquer espécie de construção, também não poderá lá nada construir. Apenas poderá reconstruir o que já lá estiver, na volumetria original, sem nunca poder demolir o que já existia...

Ou seja, se alguém, nestas zonas agrícolas, tiver um terreno com um pequeno "barracão" em pedra, originalmente planeado para albergar apenas umas ovelhas e cabras e algumas ferramentas agrícolas, e daí quiser fazer uma casa de habitação, terá de se "desenrascar" com o que já há, sem acrescentar mais nada... E sem me referir especificamente a este concelho, é natural que isto dê azo a que, por esse país fora, se ouçam falar de "zonas agrárias" que se transformaram em "zonas urbanas" assim muito para o de repente...

Por outro lado, temos situações como esta aqui em Alverca do Ribatejo, que a foto seguinte ilustra, e que julgo que, se não fôr única no país, é das mais raras e extremas, ácerca deste tópico, que se podem encontrar em Portugal.



Aviso já os caros participantes do fórum que escusam de ficar preocupados comigo: felizmente não moro naquele edifício. Infelizmente mora lá bastante gente, inclusivé um casal amigo e os seus dois filhos pequenos.

Esta pequena "pérola" fica situada no cruzamento das ruas 9 de Agosto de 1990 e José Martinho dos Santos. A Repartição de Finanças de Alverca do Ribatejo fica no rés-do-chão, cuja janela gradeada se nota no canto inferior direito da fotografia, logo abaixo da sinalização vertical de "STOP", sem falar na quantidade de gente que ali habita...

Garanto-vos que não sei qual dos dois, torre de alta tensão ou edifício, é mais antigo, pois apenas vim morar para esta localidade há poucos anos mas, seja qual fôr, é um dos expoentes máximos de "planeamento e ordenamento do território" no nosso país.

É uma situação que, dada a natureza do tópico, não podia deixar de partilhar convosco... Termino com uma pergunta a todos os utilizadores e visitantes deste fórum: compravam ali um apartamento? Twisted Evil
_________________
PMR740
IM58LV
Back to top
View user's profile Send private message Visit poster's website
masterhead



Joined: 06 Jan 2007
Posts: 941

PostPosted: Sat Dec 15, 2007 2:52 pm    Post subject: Reply with quote

Cylon,

O pior exemplo é a recente instalação de novos postos de alta tensão (ou muita alta tensão, não sei bem) junto à A1 entre a saída de Sta Iria e a Povoa de Sta Iria e o início da A1. É uma linha que percorre este percurso da A1, junto a muitas casas...
Back to top
View user's profile Send private message
Cylon



Joined: 23 Oct 2007
Posts: 501
Location: Alverca do Ribatejo/Lisboa

PostPosted: Sat Dec 15, 2007 3:01 pm    Post subject: Reply with quote

masterhead wrote:
O pior exemplo é a recente instalação de novos postos de alta tensão (ou muita alta tensão, não sei bem) junto à A1 entre a saída de Sta Iria e a Povoa de Sta Iria e o início da A1. É uma linha que percorre este percurso da A1, junto a muitas casas...


Acompanhei também a instalação dessas novas torres. No entanto, a mim pareceu-me que elas apenas vieram substituir umas mais antigas e mais baixas, que já existiam no local. Na altura até me pareceu uma decisão mais acertada o facto de se ter colocado a linha a uma maior distância do topo das edificações. Presumo que a intenção deve mesmo ter sido essa. Presumo...
_________________
PMR740
IM58LV
Back to top
View user's profile Send private message Visit poster's website
admin
Site Admin


Joined: 01 Jan 1970
Posts: 1931
Location: Alentejo (Portugal)

PostPosted: Sat Dec 15, 2007 4:26 pm    Post subject: Alta Tensão... Reply with quote

Já que se fala de cabos de alta tensão, considero que a solução mais segura e até estética será instalar cabos subterrâneos, devidamente blindados electricamente, por forma a minimizar o campo electromagnético que se "escapa" deles.

Naturalmente, tal solução implicaria maiores custos e maiores dificuldades técnicas de implementação das estruturas eléctricas... mas creio que seria a melhor forma de reduzir o impacto ambiental, estético e de saúde que tais instalações podem causar...

Porém, não acredito que a REN esteja muito interessada em tais planos, devido aos custos e às obras necessárias para a tal instalação subterrânea...


Tudo depende de vontade da empresa, vontade política e que se conciliem todos os interesses, quer da REN, quer dos moradores, quer das autarquias locais onde passam os cabos aéreos...


Verdade seja dita, é mais fácil e barato colocar os postes ao lado das casas...
_________________
Bons 73s,
Luís Carvalho

Administrador do Mundodarádio - O universo da rádio na Internet
http://mundodaradio.lusopt.info
Back to top
View user's profile Send private message Send e-mail Visit poster's website Yahoo Messenger MSN Messenger
Display posts from previous:   
This forum is locked: you cannot post, reply to, or edit topics.   This topic is locked: you cannot edit posts or make replies.    yourdomain.com Forum Index -> Conversas Soltas All times are GMT
Goto page 1, 2  Next
Page 1 of 2

 
Jump to:  
You cannot post new topics in this forum
You cannot reply to topics in this forum
You cannot edit your posts in this forum
You cannot delete your posts in this forum
You cannot vote in polls in this forum


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group